Pedro Scooby dá dicas “não só para os surfistas” de turismo na Indonésia – GQ

4

Em temporada de surf pela Ásia, Pedro Scooby dividiu com a GQ dicas de turismo na Indonésia. Praticamente local, ele partiu para o país no mês de julho e, depois de passar por um susto com o naufrágio do barco em que estava com os amigos, está pegando altas ondas (muito altas no caso dele) nas ilhas de Mentawai, a 150 km da costa oeste de Sumatra.

Confira abaixo:

Pedro Scooby na Indonésia (Foto:  )

Melhores ondas e praias

A Indonésia tem um turismo muito grande, com variedades para surfistas e não surfistas. Aqui tem onda para todos os tipos de surfistas: desde os iniciantes até os profissionais. Fora do surf, tem, por exemplo, os passeios na cidade de Ubud, no meio da floresta, com cachoeiras e lugares para meditar.

Pedro Scooby na Indonésia (Foto:  )

Comida

Pela religião, não comem carne. Mas, com o crescimento do turismo, até churrascaria tem hoje em dia. Então, a variedade é grande.

+Marlon Teixeira indica as melhores praias para surfar na Indonésia
+Livro reúne fotos dos maiores surfistas brasileiros
+Quase no ‘Livro dos Recordes’, Maya Gabeira ainda quebra barreiras no surf

Hospedagem

Aqui tem de tudo. Desde um hotel 5 estrelas até um de 5 dólares [risos]. Para os surfistas, tem os barcos em Mentawai, considerada a Disney do surf, com as melhores ondas do mundo.

Pedro Scooby na Indonésia (Foto:  )

Costumes

Bali é hindu, mas grande parte da Indonésia é muçulmana, a ponto de não poder nem andar sem camisa na rua. Então, é bom ficar ligado nas tradições e respeitar os costumes de outros povos. Amo a Indonésia. As pessoas são muito queridas. Muita gente liga a Indonésia ao surf pela qualidade da onda, mas é um destino incrível, não só para os surfistas. Aqui tem mil e uma possibilidades de festas, hotéis e restaurantes maravilhosos. Tudo isso em um paraíso!

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários