Por dentro do detalhe: o que faz a diferença numa viagem – GQ

6

Viajar é bom e todo mundo sabe. Mas o que diferencia o bom do extraordinário? O que torna uma experiência única a ser lembrada e relembrada pelo resto da vida?

Depois de cinco meses viajando em família e só se hospedando nos melhores hotéis do planeta, em destinos que passam pela América do Norte, Europa e Ásia, Adriana Bechara, criadora do site 3 na viagem, revela qual detalhe é capaz de transformar uma piscina na Itália na melhor do mundo, o café da manhã que faz com que você se sinta um local em Bali – e não um turista – , o menu imperdível de São Francisco, nos Estados Unidos…

Confira: 

A piscina do Belmond Cipriani, em Veneza

Cipriani  (Foto: Divulgação)

“Não foram poucas as piscinas que encontramos ao longo desses 150 dias de verão rodando o globo, mas nada se compara à do Belmond.”

Por que? Adriana enumera a quantidade de detalhes que a tornam tão especial: “Olímpica, com água do mar tratada, rodeada por jardins fantasticamente cuidados e restaurantes maravilhosos”. 

Sim, o hotel não fica exatamente em Veneza, mas em Giudecca, ou seja, enquanto a Veneza tradicional é repleta por predinhos históricos e às vezes apertados, que sobrepõem uns aos outros, o hotel tem espaço  suficiente também para deixar a piscina brilhar.

“Quando entrei na água e comecei minhas braçadas, pensei: acho que estou entrando na piscina mais chique do mundo. Saí energizada e pronta para um Spritz.”   

O café da manhã do Alila Seminyak, em Bali

Alila (Foto: Divulgação)

“Não é à la carte, nem faz jus ao mantra da exclusividade ‘para poucos e bons’. Exatamente por isso foi o café da manhã do Alila Hotels foi o mais fora de série de toda viagem.”

Aos detalhes que fazem a diferença: os sucos, de sabores exóticos, como pitaya com coco, veem em garrafinhas de vidro individuais e as granolas são embaladas em cones de papel reciclável. Já os pães saem de uma padaria in loco, com uma variedade incrível de opções.

Tudo acompanhado de ótima música e com uma frequência de pessoas que passa longe dos lugares tipicamente turísticos. “De repente, entendi que estavam ali não apenas os hóspedes do hotel, mas gente bacana do lugar. Não por acaso, meu amigo Fred D’Orey, da carioca-balinesa Totem, é habitué. O salão horizontal, que cresce com as mesas do lado de fora, dá de frente pra praia de Seminyak, ou seja, além de tudo, é pé na areia. O luxo dos produtos artesanais somado ao mix de pessoas locais e à localização de frente pro mar deu o tom do café da manhã mais bacana que tivemos.” 

Jantar no Taj Campton Place, San Francisco

Taj Campton (Foto: Divulgação)

“Foi uma surpresa chegar ao Taj e descobrir que estávamos hospedados num local que tem um dos melhores restaurantes do país. O chef indiano Srijith Gopinath leva o mérito de combinar os ingredientes típicos do norte da Califórnia ao seu know-how asiático – com isso já tem duas estrelas no guia Michelin pelo segundo ano consecutivo.

A dica é o menu degustação Spice Route, que tem o prato Spice Pot: um vasinho dramaticamente fumegante que traz chutney de tamarindo, iogurte apimentado e verdurinhas locais. Depois vem a Maine Lobster, com manga verde e coco. De prato principal vem o carneiro cozido lentamente com ervilhas, arroz basmati e iogurte picante.

Outros detalhes impressionantes? Tudo arrematado por morangos com sorvete de creme e pétalas de rosas. Por incrível que pareça, foi leve e saboroso. O ambiente do restaurante é chique e intimista e transformou um banal fim de tarde na melhor refeição possível.”

A massagem do Bulgari Bali

Bulgari Bali (Foto: Divulgação)

“Além de toda sofisticação visual do Bulgari Bali, um ícone da hotelaria à beira-mar (pioneiro em Uluwatu, com mais de dez anos), a casa do spa data do século 17, com estilo original da ilha de Java, o que torna a experiência única: você se teletransporta para outros tempo e espaço ao receber uma massagem tipicamente balinesa, que tem movimentos lentos e longos, que ativam a circulação.”

Não bastasse tudo isso, a paisagem é incrível. “Sair dali e contemplar o por do sol naquela casa-pérola foi demais. Memorável!” 

As experiências na Malhadinha Nova, Alentejo, Portugal

Malhadinha  (Foto: Divulgação)

É uma tendência cada vez mais comum os hotéis se especializarem em oferecer experiências diversificadas para os hóspedes.

“Ao chegar na Malhadinha Nova, um mix de hotel (com apenas 15 unidades), restaurante, fazenda e vinícula do Alentejo, percebi que tudo é personalizado. O João, encarregado de fazer sua estadia o mais divertida possível, vem com um menu que tem desde passeios de balão, passando por fotografias noturnas da lua a oficinas de biscoitos com a Vitalina, cozinheira alentejana chefe do pedaço. O tom pessoal, intimista e zero formal fez com que a gente se sentisse de verdade em casa, como se fizéssemos parte daquele lugar. E para quem já estava há quase 150 dias viajando, isso valeu ouro.”

Adriana Bechara  (Foto: João Bertholini/ Arquivo Vogue)

Adriana Bechara tem mais de 20 anos de jornalismo, 12 deles nos títulos Condé Nast Vogue e Glamour, com passagens pelo Jornal do Brasil, O Dia, Revistas Elle, Veja Rio e Quem

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários