Por que a Tesla estuda voltar a ser uma empresa de capital fechado? – GQ

4

“Uma Tesla privada acabaria sendo uma enorme oportunidade para todos nós”. Estas foram as palavras do CEO Elon Musk em comunicado para funcionários nesta terça-feira, pouco após dividir com seus seguidores no Twitter a vontade de fazer da famosa companhia de carros elétricos uma empresa de capital fechado.

Musk aproveitou o comunicado para explicar a decisão:

“A razão para tal é criar um ambiente em que a Tesla opere da melhor maneira possível. Como empresa de capital público, somos atingidos por reviravoltas no valor de nossas ações que podem se transformar em uma enorme distração para todo mundo trabalhando na Tesla, já que todos são acionistas. Ser público também nos sujeita ao ciclo financeiro trimestral, que coloca enorme pressão para que a Tesla tome decisões que talvez sejam acertadas para um dado trimestre, mas não necessariamente saudáveis ao longo prazo.”

A resposta é um tanto previsível (é basicamente o que você encontra em uma pesquisa na Investopedia). Mas se você acompanha o vai e vem da Tesla, a parte que mais chama a atenção talvez seja o lance do “longo prazo”. Em especial nesse momento. Oito anos depois de abrir capital, a Tesla está focada na transição do setor de luxo para o mercado automobilístico de massa. O que é um desafio e tanto para uma empresa sem a estrutura de players tradicionais como a Ford. Trabalho de formiga, portanto, uma fábrica por vez. Tanto é que foi apenas no mês passado que a empresa alcançou a meta de 5 mil Model 3 fabricados por semana, marco que Elon Musk pretendia superar já em 2017.

+ Elon Musk cancela temporariamente seu “salário” pelo futuro da Tesla
+ Na crista da onda: Tesla lança prancha de surf de quase 6 mil reais

A Tesla divulgou neste último trimestre déficit de US$ 717,5 milhões, um recorde para a companhia, que teve apenas dois meses no azul nos últimos oito anos. A Tesla tem ainda outro recorde ingrato: a de ser a empresa na bolsa a ter mais ações vendidas abaixo do valor. Algo que, para Musk, “significa que há um grande número de pessoas com incentivo para atacar a companhia”.

Tweets e comunicado à parte, é fato que Musk ainda não tomou uma decisão final. Além do quê, fechar capital não é tão simples a ponto de caber em 280 caracteres; o ato envolve um processo de votação entre acionistas e um registro na Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos, além de um plano que considere quem já tem ações na empresa. E mesmo se o fechamento vier a acontecer, Musk não elimina a possibilidade de reverter a decisão: “No futuro, assim que a Tesla entrar em uma fase de crescimento lento e previsível, é provável que faça sentido retornamos aos mercados públicos”, diz o CEO em seu comunicado.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários