Por que o novo recorde de Warren Buffett não é só boa notícia – GQ

8

Warren Buffett (Foto: Getty Images)

A Berkshire Hathaway marcou um novo (aparente) golaço: a holding detém caixa de US$ 122 bilhões. A notícia acompanha um trimestre em que a companhia do famoso bilionário Warren Buffett ganhou US$ 1 bilhão a mais com vendas de ações do que o valor investido em papéis. O número supera a reserva de gigantes como Alphabet Inc. e a Apple (empresa que faz parte do portfólio da Berkshire) e representa uma grana que o grupo pode usar para novas aquisições e investimentos.  

+ Barneys New York entra com pedido de falência
+ Mackenzie Bezos é a 3ª mulher mais rica do planeta, com fortuna de R$ 140,8 bilhões
+ Warren Buffett admite equívoco sobre compra da Kraft

Ao mesmo tempo, mais dinheiro em conta não necessariamente significa bons ventos para uma empresa como a de Warren Buffett. É só olhar para o contexto da notícia: a empresa de Buffett desacelerou na compra de suas próprias ações nos últimos meses – uma medida que, usada bem, alavanca os papéis da empresa e, portanto, o share de seus acionistas. Há também o fato de que a Berkshire – que tem ações em grandes bancos e linhas aéreas – não realiza uma grande aquisição já faz alguns anos.

Nada disso é por si só negativo, nem novo (o conglomerado encarou o problema de ter dinheiro demais nos bolsos em 1998 – US$ 15 bilhões em caixa – e novamente em 2004  – com US$ 43 bi). Mas cria apreensão entre investidores. “Seria difícil olhar para o balanço [da Berkshire] e seu uso de recursos nos últimos trimestres e não ficar desapontado com o fato deles não terem comprado nenhuma companhia, terem adquirido poucas ações e optado por não comprar muitos de seus próprios papéis”, diz à Bloomberg Jim Shanahan analista da firma Edward Jones.

Por outro, em carta para acionistas, Warren aborda a estratégia da empresa: priorizar a compra de papéis sobre grandes aquisições. “Preços estão altos no caso de negócios com perspectivas decentes no longo prazo”, explica o investidor. Este ‘pé atrás’ também está ligado ao aumento do caixa.

A Berkshire adquiriu o equivalente a 50 bilhões de dólares em ações da Apple no começo do ano. Também aumento em 6% sua participação no Bank of America – um total de 950 milhões de ações, que totalizam com US$ 28 bilhões. Seu próximo passo é a injeção de US$ 10 bilhões  em ações privilegiadas na aquisição da Anadarko Petroleum Corp. pela Occidental Petroleum Corp.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários