Revista Náutica >> Salão de Barcelona apresenta novidades tecnológicas aplicadas à náutica

23
Foto: Reprodução

Comandar um barco através de um relógio inteligente, visualizando o fundo do mar através do smartphone ou recebendo um alerta se a âncora se moveu, mesmo se estivermos a quilômetros de distância, são algumas das inovações tecnológicas que foram apresentadas no salão náutico de Barcelona.

Durante o evento, foi possível conhecer a embarcação Rodman Spirit 31, que conta com vários sensores e dispositivos que possibilitam conhecer em tempo real e remotamente vários parâmetros do barco, como nível e a condição das baterias, possíveis vias navegáveis, temperatura na sala da máquina e outros espaços do barco, se houver um risco de afundamento devido à acumulação de água, ou a presença de pessoas ou objetos no interior, entre outros.

Da mesma forma, a tecnologia aplicada à navegação já permite controlar, a partir do smartphone, os motores, o aquecimento e o ar condicionado ou a televisão, e fazer manobras de doca ou pilotar o barco por controle remoto e até mesmo comandar a embarcação através de um relógio inteligente.

Entre os aplicativos apresentados está o SmartBoat, que permite consultar através do smartphone ou do tablet vários recursos de segurança, como a localização GPS, a bateria, mas também conhecer os parâmetros de navegação, como a velocidade, o rumo ou a direção do vento.

Outra aplicação é EasyPort, que oferece um amplo catálogo de serviços ao navegador, como informação dos portos mais próximos, pontos de reparação e manutenção de barcos, segurança ou meteorologia.

A proliferação de novos aplicativos também permite a possibilidade de compartilhar os dados com outros utilizadores através da “nuvem”, como a carta de navegação, localização de bancos de peixes, enseadas e praias, restaurantes, entre outras experiências.

 

Fonte Oficial: http://www.nautica.com.br/salao-de-barcelona-apresenta-novidades-tecnologicas-aplicadas-a-nautica/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários