Segundo pocket show do projeto GQ Vozes apresenta Duda Beat – GQ

9

Você tem visto passar por aqui ao longo de 2018 toda uma geração de artistas que formam o que, na nossa concepção, é a nova música brasileira. Mas qual o crítério para chegarmos nesse nome? Todos eles, embora de diferentes origens e fluindo por vários gêneros musicais, nasceram, cresceram e se reproduzem na internet. Estão voltados às visualizações, às reproduções e ao engajamento de suas redes – em canções ou opiniões. São artistas que têm as mídias sociais como meio de propagação de suas letras, dialogam com seus pares em featurings que surgem ao sabor da conexão rápida e trazem uma visão sobre o trabalho que agora transforma-se em trilha sonora de vidas virtuais. Clipes e encontros são celebrados no YouTube com a mesma surpresa de esperar uma estreia televisiva que pode(ria) alavancar trajetórias.

Nesta terça-feira (17), o projeto GQ Vozes, lançado neste ano como um radar para localizar esses expoentes – e que já entrevistou nomes como Zeca Veloso, Silva, Jão, Tim Bernardes, KekelBaco Exu do Blues, Dilsinho, Gustavo Mioto e Jaloo -, entre outros, continua a ampliar sua versão ao vivo.

+ Gustavo Bertoni canta (e encanta) em entrevista ao GQ Vozes
+ Aposta do GQ Vozes, Nego Bala fala de suas influências

A segunda edição da série de pocket shows com o selo #GQVozes acontece novamente no Baretto, o bar do Fasano, a partir das 20h. Depois da grande estreia com show de Rubel, a  escolhida da vez é Duda Beat, estrela avassaladora de 2018, que ocupará o espaço com sua mistura de pop com reggae, brega sofrência. Hits como Bixinho, Bolo de Rolo e Bédi Beat explicam por si mesmos por que ela é uma voz que vale a pena ser ouvida.

Fique lidado por aqui na GQ e nas nossas redes para ver (e ouvir) o que vem por aí. Enquanto isso, dê play na playlist do GQ Vozes.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários