Serena Williams se deu mal no US Open, mas faturou alto na bolsa. Aos números – Notas – Glamurama

7

Serena Williams || Créditos: Getty Images

Derrotada na final do último US Open, Serena Williams teve uma sorte bem diferente em Wall Street, outro lugar onde as sacadas certeiras também costumam render ótimos prêmios. É que há alguns meses a tenista americana comprou um pacote de ações preferenciais da start-up de pesquisas online SurveyMonkey, da qual integra o conselho, por cerca de US$ 3,4 milhões (R$ 13,7 milhões), e acabou faturando uma bolada com a estreia da empresa na bolsa de valores eletrônica NASDAQ nesta quarta-feira.

Aos números: lançada com um preço unitário de US$ 12 (R$ 48,47), a ação da SurveyMonkey – que é negociada pela sigla SVMK – terminou o pregão do dia valendo US$ 17,24 (R$ 69,63), com uma alta de quase 45% e gerando um valor de mercado total de US$ 1,46 bilhão. Já o lucro de Williams no IPO (oferta pública inicial de ações) foi de US$ 857,5 mil (R$ 3,46 milhões), já descontados os impostos e menos da metade do US$ 1,85 milhão (R$ 7,47 milhões) que ela embolsou como vice-campeã do torneio do Grand Slam, mas ainda assim uma grana de respeito.

Ao longo da carreira, a bff de Meghan Markle faturou US$ 88 milhões (R$ 355,4 milhões) com suas vitórias nas quadras e mais ou menos a mesma quantia fora delas, como garota-propaganda de gigantes como a Nike e a BMW (nos Estados Unidos ela é o rosto do Mini Cooper, que pertence à montadora alemã). Casada desde novembro com o empreendedor tech Alexis Ohanian, a atleta costuma seguir as dicas dele sobre onde investir seus ganhos no mercado de capitais e, como se vê, parece estar se dando muito bem. (Por Anderson Antunes)

Fonte oficial: Glamurama

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários