Sob protestos e aplaudido no Festival de Berlim, ‘Marighella’ tem boa recepção internacional – GQ

9

Como único representante brasileiro na mostra principal do Festival de Berlim, ‘Marighella’ estreou nesta sexta (15) sob aplausos da imprensa internacional. O primeiro longa de Wagner Moura como diretor é uma cinebiografia do guerrilheiro de esquerda, conhecido como um dos principais expoentes da luta contra a ditadura militar nos anos 60.

Inspirada na obra de Mário Magalhães, a produção de R$ 10 milhões acompanha os últimos cinco anos de vida do protagonista. O roteiro remonta às consequências imediatas do início do golpe militar, em 1964, e segue até o assassinato de Marighella, em 1969, numa emboscada que é um dos marcos do fim da guerrilha urbana durante o regime.

A estreia foi marcada por protestos, não só do público, que segurava placas contra o genocídio de povos indígenas ou em lembrança de Marielle Franco – vereadora e defensora dos direitos humanos assassinada em 2018 -, mas também do próprio elenco. No tapete vermelho, Wagner Moura entrou com uma placa de rua em homenagem à vereadora.

+ Tudo que você precisa saber para acompanhar o Festival de Cinema de Berlim de 2019
+ Bruno Gagliasso para Wagner Moura sobre vida online e offline: “Misturo tudo. Sou feliz assim”
 

Marighella (Foto: Divulgação)

Na coletiva de imprensa, Wagner explica: “Nosso filme não é somente sobre os que resistiram nas décadas de 60 e 70, mas é também sobre os que estão resistindo agora”.

Sem data de estreia prevista para o Brasil, o longa conta com Seu Jorge, Adriana Esteves, Humberto Carrão e Bruno Gagliasso no elenco.

 

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários