“Sou meio do passado, analógica. Gostaria muito de ouvir minha música nas rádios”, diz Paula Santisteban – GQ

8

 “Ele falava que esse disco seria para quem gosta de som”, diz Paula Santisteban sobre seu primeiro álbum, assinado pelo aclamado produtor Carlos Eduardo Miranda falecido este ano. “Venho de uma família de artistas, não só de instrumentistas, o que me fez trazer para o meu trabalho algo visual, tátil, além da partitura”, continua ela. “O disco, em sua essência, traz essa cor laranja, azulada, de um fim de tarde. Essa vontade de caminhar, de olhar paisagens, de desacelerar, de entrar em um lugar dentro, em águas profundas. Música, tocada, cantada, sem glamour.”

+ Jão está pronto para o sucesso de sua “sofrência pop”

+ 10 vozes femininas que você precisa ouvir

Em seu show, Paula interpreta composições próprias (veja como as mulheres estão revolucionando a música autoral brasileira) e também de artistas como Tim Bernardes, Tchello Palma e Fabio Góes.

Assista ao lyric video de “As Janelas da Cidade”:

A cantora respondeu ao quiz especial do projeto #GQVozes:

Disco, digital, YouTube ou show?
Disco.
Música que você está ouvindo agora?
“I Better Be Quiet Now”, de Elliot Smith.

O featuring perfeito com você seria com quem?
João Gilberto.
Um look ideal para show seria?
Vestido longo e camisa masculina.
Sua vida é um Instagram aberto? Comente?
Sou bem reservada, não gosto muito de expor minha vida. Mas, quando acontece, minhas fotografias são reflexo dos meus maiores amores: minha filha Estela, meu amor Eduardo Bologna e minha música.
Pagaria para tocar nas rádios ou pagaria para ter mais seguidores?
Gostaria muito de ouvir minha música nas rádios. Sou meio do passado, analógica. Mas não pagaria por isso. Não tenho pressa. Acho que pode acontecer naturalmente.
Já escreveu música para conquistar alguém? Deu certo?
Nunca fiz músicas para conquistar alguém, sou tímida. Mas já ganhei algumas canções do Edu [seu marido, com quem ela tem o projeto Música em Família]. Ele fez tantas canções lindas que me casei com ele.

Um disco clássico? Um guilty pleasure?
Elis & Tom. E amo a música “Baby Can I hold you”, da Tracy Chapman.
Uma música pra cantar no banho?
“Someone to watch over me”.
Qual o verso mais sexy de todos os tempos?
“Se nós, nas travessuras das noites eternas, já confundimos tanto as nossas pernas. Diz com que pernas eu devo seguir.” [“Eu te Amo”, de Chico Buarque].

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários