Testamos o Emsculpt, aparelho que promete queimar gordura e definir músculos sem esforço – GQ

19

O Emsculpt criado pela BTL Aesthetics e que começa a chegar no Brasil. Aparelho promete queimar gorduras e tonificar músculos (Foto: Divulgação)

Acaba de chegar ao Brasil uma técnica estética que “combina o desenvolvimento muscular à queima de gordura“. Trata-se do Emsculpt, criado pela BTL Aesthetics e que, basicamente, é um aparelho que induz a contração muscular nas regiões do abdômen e glúteos.

+ Testamos 3 treinos diferentões em São Paulo
+ Tudo pela selfie perfeita: conheça os procedimentos estéticos mais buscados pelos homens
+ 8 exercícios simples que podem melhorar a qualidade da sua ereção

Os aparelhos começaram a aprecer em alguma clínicas estéticas espalhadas pelo Brasil, com sessões que custam entre R$ 2 mil e R$ 2.500 mil. Testamos.

Um dos braços do Emsculpt preso ao abdômen. Se a pessoa for larga o suficiente, é possível usar dois (Foto: Felipe Blumen)

Como é

O princípio é o mesmo da eletroestimulação de músculos, que em algumas academias se faz com uma roupa própria, cheia de eletrodos (e que já testamos também). Eles enviam estímulos eletromagnéticos aos músculos para que eles se contraiam em uma intensidade bem maior do que a de um exercício físico padrão. 

As cintas e as “mãos” do aparelho são presas ao abdômen e, por 30 minutos, 20 mil contrações acontecem na sua barriga. A sensação é realmente de estar fazendo vários abdominais, embora parado.

A intensidade geral é controlável de acordo com a resistência do paciente, de 0 a 100% (quem já fez academia alguma vez na vida encara a máxima sem problemas) e são sempre três velocidades (e barulhos) de contrações que se alternam: uma de força mediana, outra mais forte e uma de descanço.

Quem pode fazer

Qualquer pessoa que já foi ou não a uma academia (mas os resultados são melhores para quem treina e se alimenta direito). As exceções são gestantes e pessoas com implantes metálicos (pois é como se fosse uma ressonância magnética localizada), DIU de cobre, marca-passo ou cirurgias feitas há pouco tempo na região.

Manutenção e cuidados

São quatro sessões que podem ser realizadas com um intervalo mínimo de 48h entre si. Dependendo do estilo de vida do paciente, são necessárias mais algumas de manutenção, mas nunca se passa de oito sessões. Depois de cada uma, o corpo sente como se tivesse feito uma série puxada de exercícios. Espere algum desconforto muscular.

É importante lembrar, por fim, que o Emsculpt não substitui a academia. “Essa tecnologia funciona como um complemento, potencializando os resultados dos exercícios e ajudando na manutenção, mas são estímulos diferentes”, explica  a dermatologista Giovana Moraes, que tem dois equipamentos em sua clínica nos Jardins, em São Paulo.

Acompanha tudo de GQ? Agora você pode ler as edições e matérias exclusivas no Globo Mais,o app com conteúdo para todos os momentos do seu dia. Baixe agora!

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários