Um jogador de beisebol terá o maior contrato da história dos esportes coletivos: R$ 1,6 bi – GQ

10

A curva financeira nos esportes não para de subir. Virou comum jogadores quebrarem recordes em contratos e transações. Agora é a vez do beisebol. Mike Trout está prestes a assinar um acordo milionário e longevo com os Los Angeles Angels: US$ 430 milhões por 12 anos – mais de R$ 1,6 bi.

+ Jogador mais bem pago da NBA, Stephen Curry fica com apenas 44% de seu salário
+ #GQporElas: Nike lança grupo de treino de futebol para mulheres

Ao todo, o valor assinado é o maior da história da MLB (liga americana de beisebol) e também dos esportes coletivos. Mas ainda não é o maior contrato já feito em todo esporte. Sabe quem ainda está no topo da pirâmide financeira? Ele mesmo. Floyd Mayweather continua imbátivel no ringue e nas finanças. 

Ele ainda é o dententor do cinturão do acordo mais rico já assinado nos esportes em geral. Em 2013, o pugilista assinou com a Showtime, contrato que cobriu seis lutas. Duas dessas lutas foram as maiores de sua carreira: contra Canelo Alvarez e Manny Pacquiao. Ao todo (contando também valores do pay-per-view), Floyd recebeu US$ 450 milhões pelos confrontos. 

+ Ofertas Amazon: Loja Esportes – roupas, calçados, mochilas e mais

Mayweather também se tornou o primeiro pugilista da história a lucrar US$ 1 bilhão. E isso ele conseguiu após lucrar US$ 275 milhões pelo confronto com Conor McGregor na “Luta do Século“, em 2017. Vale lembrar que ele ganha mais que Messi e Cristiano Ronaldo juntos.

Conor McGregor x Floyd Mayweather, em 2017 (Foto: Foto: Getty Images)

A Forbes fez até uma lista com os maiores contratos nos esportes, considerando Money Mayweather. Veja como ficou:

Floyd Mayweather (Showtime): US$450 milhões

Mike Trout (Los Angeles Angels): US$430 milhões

Canelo Alvarez (DAZN): US$365 milhões

Bryce Harper (Philadelphia Phillies): US$330 milhões

Giancarlo Stanton (Miami Marlins): US$325 milhões

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários