Viagra: saiba tudo sobre a pílula do sexo – GQ

22

O Viagra provocou uma revolução nos costumes, permitindo que os homens mais velhos ou com disfunção erétil retomassem a vida sexual. Sucesso mundial desde o seu lançamento em 1998, hoje já existem outros concorrentes e até a versão genérica da famosa pílula azul.

O fácil acesso – mesmo sendo obrigatória, é possível comprar a pílula sem receita – fez explodir o consumo entre os mais jovens. O Viagra e seus similares tornaram-se uma droga recreativa. Mas antes de sair comprando por aí, é bom saber que você não vai virar o super-homem na hora do sexo.

O que é o Viagra?

O Viagra (Sildenafil) e os outros similares como o Levitra (Vardenafil) e Cialis (Tadalafil) são medicamentos que combatem a impotência sexual. Seus componentes dilatam os vasos sanguíneos do pênis, provocando a ereção.

Funciona para qualquer tipo de impotência?

O Viagra ajuda a resolver a vida de homens com disfunção erétil leve e moderada. Os casos severos não respondem bem, mesmo com doses mais elevadas.

Quanto tempo dura?

O Viagra pode levar de 30 minutos a 2 horas para fazer o efeito desejado, com duração de cerca de 4 horas. A fabricante recomenda tomar um comprimido de 50 mg uma hora antes da relação sexual, de preferência com o estômago vazio. Dependendo da reação de cada um, a dose pode ser aumentada para 100 mg ou reduzida para 25mg. Mas não se deve tomar mais que um comprimido por dia.

Viagra aumenta a libido?

Para o pênis ficar ereto, é necessário estímulo sexual, pois o remédio em si não aumenta a libido masculina. Ou seja, não adianta tomar o remédio e ficar assistindo ao jogo de futebol esperando a mágica acontecer.

Não espere virar um super-homem

Após o orgasmo, o pênis volta a ficar flácido. Se houver uma ereção sem estímulo sexual com duração acima de 3 horas, procure um médico urgente.

Efeitos indesejados

Como todo remédio, o Viagra pode ter reações adversas. A dor de cabeça é a principal delas, atingindo mais de 10% dos usuários. Outros efeitos são tontura, visão embaçada, enjoo, alteração visual, vermelhidão no rosto. O medicamento é contraindicado para portadores de problemas coronários, que podem sofrer infarto devido ao esforço físico durante a relação sexual.

Quem pode tomar Viagra?

A pílula é indicada para quem sofre com a impotência sexual, que afeta homens a partir dos 50 anos. Recomenda-se que seja indicado pelo urologista, que deve avaliar se o paciente está apto a usar o remédio.

Precisa de receita médica?

Comprar um Viagra é tão fácil quanto pedir uma aspirina. A receita médica não fica retida como nos casos dos medicamentos controlados. Basta ir a uma farmácia e comprar.

Viagra virou diversão para jovens

Ele virou febre entre jovens e adultos que não sofrem de impotência, mas desejam manter a ereção por mais tempo, vencer a ansiedade ou têm apenas curiosidade. Há casos de jovens que se tornaram psicologicamente viciados: só conseguem transar depois de tomar o remédio. Os médicos, no entanto, são categóricos em afirmar que o remédio não melhora a performance sexual.

Mirou no que viu, acertou no que não viu

Acredite se quiser: o Viagra foi descoberto por acaso. A indústria farmacêutica Pfizer pesquisava um novo remédio para tratar de problemas no coração e descobriu que provocava ereção como efeito colateral. Assim que foi lançado, em 1998, tornou-se um fenômeno mundial de vendas.

Genéricos

Depois que a patente do Viagra expirou em 2013, foi possível lançar a versão genérica, inclusive no Brasil. O Citrato de Sildenafila promete os mesmos benefícios por um preço bem menor.

Preços dos estimulantes sexuais

Os preços variam muito, conforme a farmácia. O Viagra 50 mg (1 comprimido) custa R$ 20 em média. O Cialis 20 mg (1 comprimido), R$ 56 e o Levitra 10mg (2 comprimidos) sai por R$ 45. Já o genérico Citrato de Sildenafila 50mg (4 comprimidos), R$ 20.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários