Você precisa conhecer: Jorja Smith – GQ

18

Jorja Smith (Foto: Getty Images)

Os holofotes começam a se concentrar em Jorja Smith. Aos 22 anos, a cantora britânica tem causado fascínio mundo afora ao acrescentar suavidade às canções mais suingadas do rap e do soul e, em outras batidas, acalanto ao sofrimento de canções de amor confessionais. Em tese e no palco, ela é a personificação perfeita da expressão “rhythm and blues”. Mas a sua voz, única e cheia de tônus, transcende as definições e tem ecoado além dos rótulos.

+ Você precisa conhecer: Mark Ronson
+ Você precisa conhecer: Lizzo
+ Conheça ‘Tuyo’, banda curitibana que traduz em música um manifesto afrofuturista pop

“Minha voz faz o gênero porque soo como eu em todas as minhas músicas. Criei meu próprio gênero: Jorja Smith”, disse ela em entrevista à Pitchfork, definindo o seu estilo como algo pessoal demais para caber em caixas. Apesar do apelo, o encanto com o seu talento faz com que a imprensa caia em antigas definições ou até mesmo a comparações com outros grandes nomes do R&B, como Lauryn Hill.

Com carisma e beleza que só encontram comparativo em seu repertório 100% autoral, a artista tem ganhado o mundo. Vestindo uma camisa da seleção brasileira, a cantora foi uma das principais atrações do Lollapalooza Brasil deste ano, onde retribuiu o carinho dos fãs com uma apresentação marcada pelo entusiasmo de uma cantora em plena ascensão. Apenas o cartão de visitas de uma artista promissora, com muitos corações despedaçados ainda para reparar.

Curiosidades/O início


Jorja Smith (Foto: Getty Images)

Quem vê Jorja Smith no palco pode se surpreender ao saber que há três anos ela trabalhava no Starbucks. Nascida na pequena cidade de Walsall, com apenas 70 mil habitantes, a jovem tentava ganhar a vida como barista, no início da vida adulta, em Londres, enquanto escrevia e gravava músicas em sua conta no Soundcloud na casa dos tios.

Como legítima filha da cultura “do it yourself”, uma das marcas dos anos da era da internet, Jorja correu atrás dos seus sonhos – ou melhor, do seu ídolo. Pelo Instagram, ela enviou quatro músicas gravadas a Drake – que não só gostou do seu trabalho como a convidou para dividir os vocais de duas músicas do álbum More Life (2017).

Jorja aparece em Get It Together e numa faixa que leva o seu nome, Jorja Interlude. Em show realizado no mesmo ano, Drake a apresentou ao público de Toronto, sua terra-natal, como “uma das vozes mais incríveis e um dos seres-humanos mais incríveis que já conheci”. Na época, surgiram boatos do namoro entre os dois –  o que nunca foi confirmado.

Logo a artista chamou a atenção de marcas de grife. Atualmente, ela é garota-propaganda da Nike Air Force e já acumula aparições em desfiles de marcas como Bulgari, Tiffany & Co. e Chanel, além de ter assumido o posto de embaixadora da linha de maquiagem da Dior. “Eu nunca pensei que seria o rosto de nada”, desabafou em entrevista à Vogue, relembrando que sofria ao se comparar com as meninas brancas na adolescência.

Lançamentos e feats


Jorja Smith (Foto: Getty Images)

Apadrinhada por Drake, Jorja Smith aceitou o convite de Kendrick Kamar e apareceu um ano depois na trilha sonora de Pantera Negra, mais especificamente na faixa I AM. Neste período, ela começou a trabalhar em seu primeiro álbum, o elogiado Lost & Found, um dos lançamentos mais celebrados pela crítica especializada em 2018.

Com o primeiro disco de estúdio, a cantora ganhou o Prêmio da Crítica Britânica 2018, o Brit Awards, e mais importante: um público cativo. Com a própria fan base, ela lançou uma bem-sucedida turnê em parceria com a Kali Uchis e o seu novo single, Be Honest, parceria com Burna Boy, atualmente uma das 20 faixas mais tocadas do Reino Unido.

Dá o play

.

Gostou da nossa matéria? Clique aqui para assinar a nossa newsletter e receba mais conteúdos.

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários