Você sabia que câncer de pele também pode atingir os lábios? – GQ

6

Faça o check-list: você usa protetor solar no rosto todos os dias (até no inverno ou em dias nublados)? Você usa o produto certo, com FPS, proteção UVA e UVB? Você aplica o filtro solar da forma certa? Se já faz tudo isso, parabéns, você está quase 100% protegido. Quase. Talvez você tenha esquecido de um detalhe: os lábios também precisam de proteção.

O câncer da pele é um dos tipos de câncer mais comuns, correspondendo a 33% dos diagnósticos da doença no Brasil. E, por mais estranho que possa parecer, o câncer de pele não se restringe apenas ao tecido cutâneo, podendo atingir também os lábios, uma região extremamente delicada, de pele fina, formada por uma semimucosa, ou seja, uma transição da mucosa oral para a pele estratificada que a gente tem ao redor dos lábios.

“Assim como outros tipos de câncer, o câncer de lábios ocorre devido a um crescimento anormal e acelerado de células cancerígenas, sendo que sua principal causa é a exposição excessiva e sem proteção aos raios ultravioletas do sol. Mas, apesar da exposição solar ser o principal fator, o tabaco e o álcool também possuem papel importante no desenvolvimento do câncer de lábio”, explica a dermatologista Dra. Valéria Marcondes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (AAD).

Segundo a especialista, este tipo de câncer tende a aparecer principalmente no lábio inferior, pois estes ficam mais expostos ao sol devido a sua posição, e em pessoas de pele clara. “Pessoas de fototipos de pele mais baixos possuem menos melanina, pigmento que dá cor a pele e que a protege da ação dos raios solares. Dessa forma, quem tem a pele mais clara acaba desenvolvendo câncer de pele e de lábios mais facilmente. O que, claro, não quer dizer que pessoas de fototipos altos não possam desenvolver este tipo de câncer, apenas estão mais protegidas”, completa.

E, apesar do câncer de lábios poder demorar anos para aparecer, já que os danos dos raios solares são cumulativos, alguns sinais podem surgir antes da doença se instalar de fato. Um exemplo é a Queilite Actínica, uma doença que afeta o lábio devido à exposição constante e desprotegida ao sol e que, apesar de ainda não ser um câncer, tem grande potencial de se tornar maligna. “Podendo permanecer por muitos anos antes de se transformar em um câncer, a Queilite Actínica é bastante comum em profissionais que trabalham em ambientes externos e começa com uma pequena descamação da área dos lábios que pode evoluir para feridas que não cicatrizam. Em casos mais graves, o lábio incha e podem aparecer manchas brancas e vermelhas, bolhas e sensação de queimação na região”, alerta a médica. Outros sintomas da doença incluem sangramento, dor e o surgimento de feridas, lesões, bolhas, úlceras e nódulos que não desaparecem na região dos lábios.

+ Saiba identificar os tipos de manchas de pele e entenda o que cada uma pode significar

+ Pesquisadores trabalham em vacina contra a acne

+ 8 atitudes nocivas que fazem você parecer mais velho

Ao encontrar qualquer um destes sintomas, o mais importante é que você consulte um médico especializado. Apenas ele poderá realizar uma avaliação de seus lábios, pedir exames para confirmar a doença, como uma biopsia, e dar o diagnóstico correto, indicando o melhor tratamento para o seu caso. “Assim como outros câncer, o tratamento depende do estágio do câncer, do quão rápido a doença está progredindo e de sua saúde no geral. Se o tumor ainda estiver pequeno, pode ser realizada uma cirurgia para removê-lo, com a possibilidade de uma segunda cirurgia para a reconstrução do lábio, dependendo do quanto a estrutura foi afetada. Já em casos em que a doença está em estágios mais avançados, a radioterapia e a quimioterapia podem ser usadas para diminuir o tumor antes de removê-lo cirurgicamente e depois da cirurgia para reduzir o risco de reincidência”, destaca a dermatologista.

Porém, prevenir a doença ainda é o melhor remédio e evitar o câncer não é tão difícil, basta adotar alguns cuidados e hábitos básicos a sua rotina diária. Por exemplo, é fundamental que, além de evitar fumar e ingerir álcool, você não faça sessões de bronzeamento artificial, utilize chapéus e bonés sempre que for se expor ao sol e, o mais importante, aplique diariamente protetores labiais com fator de proteção solar de no mínimo 30 FPS, reaplicando sempre a cada duas horas. “É essencial também que você consulte um médico regularmente para detectar qualquer indicio de câncer precocemente. Quando diagnosticado nos primeiros meses do aparecimento, praticamente 100% dos casos de câncer de lábios são curados rapidamente e com pouco ou nenhum dano estético”, finaliza a Dra. Valéria Marcondes

Fonte oficial: GQ

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários