Web Luxo >> Pagani Zonda surpreende com a versão HP Barchetta

19

Ninguém esperava por mais um Zonda produzido na casa Pagani, mas a paixão do próprio Horacio Pagani o levou a lançar esta nova versão especialíssima e que foi apresentada em Pebble Beach, o local onde ela poderia ser mais admirado: o Pagani Zonda HP Barchetta é um “roadster” surpreendente e que terá apenas três unidades, sendo que um ficará na coleção privada do próprio Horacio Pagani.

Lançado em 1999, este superesportivo nascido da paixão de um perfeccionista apaixonado por automóveis de altíssimas “performances” deveria ter durado no máximo até 2013, entretanto a Pagani lançou o novo Huayra, mais avançado e rápido hyperesportivo mas apesar disso, os pedidos para séries especiais exclusivas e únicas nunca pararam, O Zonda nunca chegou a morrer! De acordo com a Pagani, este será certamente o último dos modelos Zonda. Será que é verdade?

Mas afinal o que é torna o Barchetta tão especial?

Pagani-Zonda-HP-Barchetta-1

É basicamente o Zonda mais selvagem que já vimos, com um para-brisas radical e um motor V12 de 7,3 litros da AMG. Inspirado pelos outros modelos Zonda 760, estes supercarro também contará com vários detalhes redesenhados.

O Pagani Zonda HP Barchetta possui ainda várias partes em carbono, um novo difusor traseiro, rodas azuis e douradas, e um interior branco deslumbrante.

Pagani-Zonda-HP-Barchetta-3

Conta também com uma entrada de ar em fibra de carbono ao estilo do Zonda Cinque, um enorme difusor traseiro e um delicioso detalhe das enormes rodas (20’’ à frente, 21‘’ atrás) terem cores diferentes, azuis de um lado, douradas do outro. O interior foi alvo também de trabalho muito cuidado e pormenorizado, em branco na sua quase totalidade, apenas com alguns detalhes em “azul” nos bancos “emprestados” pelo Huayra.

Pagani-Zonda-HP-Barchetta-4

Pagani-Zonda-HP-Barchetta-5

Fonte Oficial: http://webluxo.com.br/home/motores/pagani-zonda-hp-barchetta/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Sixth Sense.

Comentários